Docentes e alunos da UFPE lançam plataforma para apoiar pequenos negócios durante isolamento social

Fonte: Ascom UFPE

Diante da pandemia de COVID-19 e a necessidade do combate ao vírus, que em Pernambuco já resultou em isolamento social e fechamento de comércios não essenciais, docentes e alunos da Universidade Federal de Pernambuco desenvolveram uma forma de conectar pequenos negócios e clientes. A plataforma No Bairro Tem! foi lançada nesta terça-feira (31) e visa auxiliar o funcionamento de comércios locais, como supermercados, padarias, açougues e lanchonetes, dada a dificuldade de circulação de pessoas, e oferecer um mecanismo de busca aos possíveis fregueses. Tudo isso de forma gratuita.

A iniciativa veio de professores e estudantes do Departamento de Ciência da Informação (DCI) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Realizado de forma colaborativa, o projeto, idealizado pelo professor Fábio Mascarenhas e pelo estudante de Gestão da Informação e desenvolvedor Reginaldo Silva, já conta com mais de 500 cadastrados. Interessados em vender seus produtos e serviços também podem continuar se cadastrando gratuitamente, em fluxo contínuo.

Cobrindo a Região Metropolitana do Recife, o objetivo do site é centralizar em um só lugar informações que estavam sendo divulgadas nas redes sociais, mas se encontravam dispersas. A elaboração do banco de dados começou na semana passada, com um cadastro inicial feito pela própria equipe, mas logo surgiu uma grande demanda espontânea. De acordo com Mascarenhas, o foco inicial era em pequenos comércios de bairro – como hortifrútis, açougues e lanchonetes – mas a oferta passou a incluir também serviços profissionais, que vão de chaveiros a psicólogos. “Nossa ideia é pensar em alternativas para esse momento, principalmente para os mais vulneráveis”, explicou.

Embora existam outras ferramentas populares para conectar esses dois grupos, o site se diferencia por ser totalmente gratuito e colaborativo. Sabendo que nem todo segmento comercial está nos aplicativos de inserção global (como boa parte dos comerciantes e prestadores de serviços de bairro, como mercearias, pequenas farmácias, padarias de pequeno porte, entrega de gás, jardineiros, dentre outros), o projeto visa divulgar esses negócios sem cobrança de mensalidades e taxas, para mantê-los funcionando e evitar, assim, a circulação de pessoas nas ruas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *