Visitas virtuais auxiliam na humanização da assistência do HC aos pacientes com a COVID-19

Equipe entra em contato com a família dos pacientes para proporcionar um contato virtual por meio de kits de telessaúde ou tablets, que podem ser doados ao HC-UFPE

Via Ascom UFPE

Com o apoio tecnológico do Núcleo de Telessaúde (Nutes) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Hospital das Clínicas (HC-UFPE), unidade vinculada à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), tem conseguido promover um atendimento cada vez mais humanitário aos pacientes internados com coronavírus. As visitas virtuais passaram a ser a solução para evitar a disseminação da COVID-19, humanizando o atendimento aos pacientes ao mesmo tempo em que protege os seus familiares.

A visita virtual se dá por meio de tablets (um doado pelo grupo “Mulheres do Brasil” e outros quatro pela ONG “Juntos”) e também por um equipamento chamado Kit Móvel de Telessaúde (ou Torre de Comunicação), composto de computador multimídia com softwares para webconferência, duas webcams e acesso a um sistema de prontuário eletrônico. Ele também tem sido utilizado pela equipe de assistência para a discussão clínica remota com especialistas e troca de informações nas mudanças de plantões.

No horário agendado e com apoio da equipe de assistência, o paciente recebe a visita virtual por videoconferência. O familiar em casa faz o acesso por um smartphone ou computador. Tudo isso após o mapeamento dos parentes pelo Serviço Social e a avaliação das equipes de assistência e de psicologia. Um grande trabalho em equipe. As informações são repassadas aos parentes também por telefone e WhatsApp. Por meio de conversa, a equipe de Psicologia prepara os familiares explicando os propósitos da visita e como está o parente internado, sondando o que será conversado e as expectativas deles.

“A partir dessa comunicação, identificamos as demandas dos familiares e as repassamos para a avaliação da equipe de Psicologia. Os pacientes também trazem as suas necessidades à equipe de cuidado que avalia a condição clínica. Na prática, após o primeiro contato, tanto familiares quanto pacientes ficam esperançosos pela continuidade desse cuidado e, sempre que possível, o fazemos, às vezes até mais de uma vez ao dia. As demonstrações de afeto e carinho podem encher os corações dos envolvidos mesmo que, temporariamente, por trás de uma tela”, explica a médica intensivista e integrante da Comissão, Renata Beltrão, em entrevista à Ascom UFPE.

DOAÇÃO

É possível auxiliar a campanha de visitas virtuais realizando a doação de aparelhos eletrônicos que possibilitem a comunicação entre os pacientes e familiares.Os aparelhos devem ter a seguinte configuração: tamanho de tela de 10,1”, full HD, RAM 2GB, memória interna 32 GB, 4G e wi-fi, bluetooth, câmeras 5MP e 8MP (frontal e traseira), Android (acima 6) ou IOS (acima 11).

Para mais informações sobre a doação, basta entrar em contato pelo site do Nutes. Se a doação for em dinheiro, há edital aberto disponível no site Fade-UFPE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *