UFPE, CNTE, Ieal e outras instituições comemoram centenário de Paulo Freire com música e debates

Matéria: Ascom UFPE

O centenário do educador pernambucano Paulo Freire, que, no dia 19 deste mês, completaria 100 anos, será comemorado virtualmente com muita alegria e cultura popular. A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), a Internacional da Educação para a América Latina (Ieal) e outras instituições do movimento educacional brasileiro e internacional promovem, nos dias 19 e 20 deste mês, o 100º Aniversário de Paulo Freire, em um evento virtual que será transmitido no canal da UFPE no YouTube. O primeiro dia de evento se encerrará com apresentação do cantor pernambucano Alceu Valença, às 18h.

A Cátedra Paulo Freire da UFPE participa da organização do evento desde o ano passado. “A cátedra é uma parceira da CNTE nesta construção”, afirma a professora Eliete Santiago, coordenadora da cátedra. Ela explica que, desde 2013, ocorre na UFPE o evento “Paulo Freire em Setembro: ato político e pedagógico”. Neste ano, o ato é coletivo e com participação internacional. “Comemorar o aniversário de Paulo Freire é festa, resistência e esperança. Significa reafirmar os seus princípios, no horizonte da educação libertadora, da justiça social, da humanização do humano e da humanidade no sonho da construção de uma sociedade melhor. É um testemunho de luta, de resistência e de esperança de que possamos de fato vivenciar os direitos humanos e sociais”, ressalta.

O “Ato Político, Cultural e Pedagógico Paulo Freire”, no domingo (19), inclui ainda apresentações do cantor Silvério Pessoa; o Cavouco Trio (Paula Bujes, Pedro Huff e Antônio Barreto, da UFPE), o Bloco Flor da Lira de Olinda, a Quadrilha Junina Origem Nordestina, o Maracatu Estrela Brilhante do Recife e a cordelista Mariane Bigio. Na live, que vai intercalar intervenções políticas e atrações culturais, também será exibida a inauguração da escultura de Paulo Freire em Buenos Aires, na Argentina.

Além da programação cultural, o dia 19 contará com a presença de lideranças educacionais e sindicais do Brasil e do mundo. Falarão, por meio de vídeos gravados, o ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva; o secretário-geral da Internacional da Educação, David Edwards; a professora Nita Freire, viúva do educador Paulo Freire; os ex-ministros da Educação Cristovam Buarque e Aloizio Mercadante; os escritores Leonardo Boff e Mário Sérgio Cortella, além da ex-prefeita de São Paulo e deputada federal Luiza Erundina. Os três últimos conviveram e tiveram suas obras influenciadas por Paulo Freire, que foi secretário de Educação na gestão de Erundina.

PLENÁRIA – No dia 20, a celebração do Centenário de Paulo Freire se dedicará a ouvir as várias vozes nacionais e internacionais que estudam e praticam o pensamento freiriano na “Plenária Mundial Popular de Educação”. A live deste dia terá, em sua abertura, a aula magna de abertura do semestre 2021.1 da UFPE, proferida pelo reitor Alfredo Gomes e pelo vice-reitor Moacyr Araújo.

Em seguida, entidades do movimento sindical e social coordenam um bloco audiovisual apresentando as contribuições de Paulo Freire para o movimento sindical da educação e pedagógico latino americano. Serão apresentadas as influências de Paulo Freire na pesquisa, na ação e nos saberes das juventudes, no ensino, na cultura e nas ciências.

A importância de Paulo Freire para os movimentos sociais no mundo também será tema de debates, com a presença de educadores e educadoras do Brasil, Argentina, Chile, Cuba, Estados Unidos, Portugal, Espanha, São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Guiné Bissau e Cabo Verde; todos compartilhando experiências da educação freiriana. Também haverá depoimentos de gestores públicos e parlamentares sobre as contribuições de Paulo Freire para as políticas educacionais.

Entre as instituições promotoras do evento virtual, junto com UFPE, CNTE e Ieal, estão ainda as entidades que compõem o Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE), a Rede de Estudos Latino-Americanos sobre o Trabalho Docente (Red Estrado) e o Conselho de Educação Popular da América Latina e do Caribe (CEAAL).

Programação (sujeita a modificações)

Dia 19/09

14h: Abertura: IE, Red Estrado e CEAAL – Coordenação: CNTE (Heleno)
Hino do Brasil, com Cavouco trio
Internacional da Educação, Roberto Leão
Red Estrado, Dalila Oliveira
CEAAL, Raimunda
Reitor da UFPE, Alfredo Gomes

14h20: Cavouco Trio: Paula Bujes e Pedro Huff (cordas) e Antônio Barreto (percussão) – professores do Departamento de Música da UFPE)

14h35: Exibição de vídeos

14h55: Apresentação do Bloco Lírico Flor da Lira de Olinda

15h15: Exibição de vídeos

15h30: Apresentação Quadrilha Junina Origem Nordestina
Fátima Silva

15h50: Inauguração do busto de Paulo Freire em Buenos Aires/Argentina

16h20: Show de Silvério Pessoa

17h10: Exibição de vídeos

17h20: Apresentação do grupo Maracatu Estrela Brilhante do Recife

17h40: Apresentação da cordelista Mariane Bigio.

18h: Apresentação de Alceu Valença

19h: Encerramento Live Alceu Valença
Fátima Silva: Convocação da Plenária Mundial Popular de Educação

Dia 20/09

Comemorações do Centenário de Paulo Freire “Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo”.

Blocos temáticos – 9h às 19h

9h às 10h – Aula Magna UFPE – reitor Alfredo Gomes e vice-reitor Moacyr Araújo

10h às 11h – Paulo Freire e o Movimento Sindical da Educação: Não basta saber ler que ‘Eva viu a uva’. É preciso compreender qual a posição que Eva ocupa no seu contexto social, quem trabalha para produzir a uva e quem lucra com esse trabalho.

CNTE e entidades filiadas com referência nos estados onde Paulo Freire nasceu/viveu/trabalhou: PE e SP – entidades sindicais do FNPE
Coordenação: Heleno Araújo

11h às 12h – Paulo Freire e o Movimento Pedagógico Latino Americano: A educação é um ato de amor, por isso, um ato de coragem. Não pode temer o debate. A análise da realidade. Não pode fugir à discussão criadora, sob pena de ser uma farsa.
Representantes da IE, Ieal e Movimento Pedagógico Latino-Americano

Coordenação: Combertty Rodriguez

12h às 13h – Paulo Freire: Pesquisa e Ação na América Latina: Não é no silêncio que os homens se fazem, mas na palavra, no trabalho, na ação-reflexão
Red Estrado – CEAAL – Conselho Mundial de Igrejas
Coordenação: Eliza Bartolozzi e Raimunda Oliveira

13h às 14h – Paulo Freire e os Saberes das Juventudes: Ensinar e aprender não pode dar-se fora da procura, fora da boniteza e da alegria
UNE – Ubes
Coordenação: duas entidades

14h às 15h – Paulo Freire o Ensino, a Cultura e a Ciência (Academia): Ensinar não é transferir conhecimento, mas criar as possibilidades para a sua própria produção ou a sua construção
Três cátedras – cinco universidades – duas entidades (SBPC e Anped)
Coordenação: Eliete Santiago (UFPE)

15h às 16h – Paulo Freire e os Movimentos Sociais: Desrespeitando os fracos, enganando os incautos, ofendendo a vida, explorando os outros, discriminando o índio, o negro, a mulher, não estarei ajudando meus filhos a serem sérios, justos e amorosos da vida e dos outros
Movimentos de Mulheres – Movimento Negro – Indígena – Quilombola – Movimentos pela terra – Fóruns EJA do Brasil – Campanha Nacional pelo Direito à Educação

Coordenação: MNU e MST

16h às 17h – Paulo Freire é do Mundo: A leitura do mundo precede a leitura da palavra. Representantes confirmados São Tomé e Príncipe, Angola, Moçambique, Cuba, Estados Unidos e Espanha. Dificuldades com Guiné Bissau e Cabo Verde
ReLus -Rede Lusófona pelo Direito à Educação
Coordenação: José Augusto Cardoso – CPLP-SE3

17h às 18h – Vivências com Paulo Freire: Ações coletivas, educar é impregnar de sentido o que fazemos a cada instante!
Depoimentos confirmados – Ana Maria Saul – Carlos Rodrigues Brandão – Leonardo Boff – Márcio D’Olne Campos – Moacir Gadotti – Oscar Jara – Pedro Pontual – Sergio Haddad – Sonia Kruppa – Cepafre
Coordenação: Ana Saul

18h às 19h – Paulo Freire e o exercício político nos espaços de poder: Lavar as mãos do conflito entre os poderosos e os impotentes significa ficar do lado dos poderosos, não ser neutro. O educador tem o dever de não ser neutro. – Governadores/as, deputados/as, senadores/as, prefeitos/as, vereadores/as

Coordenação: Teresa Leitão – Coordenadora da Comissão Organizadora do Centenário de Paulo Freire na Alepe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *