Fade-UFPE apoia campanha Novembro Azul: Conscientização do câncer de Próstata

A Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE apoia a campanha Novembro Azul, promovida durante todo este mês, com intuito de informar sobre os cuidados com a saúde masculina, especificamente para intensificar a importância da prevenção e conscientização do o câncer de próstata, a fim de incentivar o diagnóstico precoce e reduzir os índices de mortes causadas pela doença.  

O câncer de próstata é o segundo tipo com mais incidência entre o gênero masculino — ficando atrás apenas do câncer de pele. Uma pesquisa divulgada, recentemente, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelou que 42% dos brasileiros acima dos 40 anos nunca fizeram exame que possibilita o diagnóstico da doença.Isso reflete um tabu,  problema de saúde pública preocupante para a população masculina.  

O Instituto Nacional do Câncer (INCA) alerta que o câncer de próstata só é diagnosticado em fase avançada, por ser um tumor silencioso. A doença deve atingir parcela significativa do público masculino, são mais de 65 mil homens em 2021. Cerca de 75% dos casos atingem homens com 65 anos ou mais, e o número de mortes ultrapassa 15 mil todos os anos. 

Para combater o câncer de próstata e destacar a importância da prevenção e conscientização,  surgiu a campanha Novembro Azul em 2003  em Melbourne,  na Austrália, a partir da iniciativa de dois amigos, Travis Garone e Luke Slattery. Inspirados pela campanha da mãe de um colega, que levantava fundos para o combate ao câncer de mama, Travis e Luke tiveram a ideia de associar o bigode com a conscientização sobre a saúde masculina.

Assim, a campanha Novembro Azul pretende quebrar tabus masculinos. Nesse sentido, promove diversas ações como debates, conversas e divulgação de informações sobre as doenças que afetam os homens, além de consultas e exames para população masculina. 

O câncer de próstata  se origina com o crescimento descontrolado de células anormais que se multiplicam rapidamente e formam tumores,  As células neoplásicas têm a capacidade de invadir os tecidos e se disseminam por órgãos distantes, seja por via linfática (comprometendo os gânglios) ou sanguínea (principalmente os ossos).

Homens com mais de 40 anos são os mais acometidos com o câncer de próstata que pode ser curado quando ainda está localizado. Quando a doença se encontra em avançado, é menor o risco de sobrevida do paciente. Portando, um diagnóstico precoce é fundamental para o tratamento adequado e a cura.

Os principais sintomas do câncer de próstata são dor nas articulações, febre, sangue na urina, urgência em urinar,  urinar frequentemente à noite, dores nas áreas próximas ao genital, dores abdominais e dores na lombar. Se você apresentar algum desses sinais procure um profissional de saúde, urologista. 

Veja abaixo uma lista dos exames para constatar o diagnóstico precoce do câncer de próstata : 

PSA – Exame de sangue: Avalia o hormônio PSA, cujo resultado normal são valores menores do que 4 ng/ml.  É importante destacar que os valores aumentam de acordo com a idade.

Toque retal:  O tamanho da próstata também pode ser detectado por meio do toque retal, que sobre alteração de tamanho e consistência quando a glândula está inflamada. O exame é muito rápido, demorando cerca de 1 minuto e causa apenas um leve desconforto. Para realização do exame, alguns médicos optam por indicar algum tipo de laxante para limpeza do intestino, a fim de facilitar a realização do exame.

Ultrassonografia: A ultrassonografia ou ecografia da próstata é feita para avaliar o tamanho da glândula e identificar alterações na sua estrutura. 

Fluxometria: O exame consiste na avaliação da força do jato e a quantidade de urina em cada micção, pois quando ocorrem alterações na próstata, o jato fica mais lento e fraco. A fluxometria é realizada quando o paciente urinando em um aparelho que fará o registro -, requer que o indivíduo esteja com a bexiga cheia e com muita vontade de urinar. Assim, é recomendado beber, pelo menos, 1 litro de água antes do exame.

Exame de urina de laboratório: O urologista pode indicar um exame de urina, sendo necessário coletar uma pequena quantidade de urina para avaliar a presença de sangue ou de micro-organismo que podem estar presentes em casos de infecção urinária, por exemplo. A coleta deve ser feita com a primeira urina da manhã, colocando-a em um recipiente plástico fornecido pelo laboratório. 

Biópsia: O exame é solicitado quando há necessidade de confirmar diagnósticos de alterações na próstata, como câncer ou tumores benignos, ocorrendo a retirada de um pedacinho dessa glândula para análise de laboratório. 

A Fade-UFPE apoia essa ideia: previna-se contra o câncer de próstata.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *