Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador

No dia 8 de julho, é celebrado o Dia Nacional da Ciência e do Pesquisador Científico. Essa data foi escolhida em homenagem à criação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em 1948. É importante para lembrarmos como as pesquisas científicas são relevantes para os avanços da sociedade, no âmbito da saúde e bem-estar da população. Além de servir para estimular os jovens a participarem da ciência e divulgar o saber científico.  

 A contribuição do campo científico para a sociedade é inquestionável, na medida que ajuda a compreender mais sobre a natureza, elimina doenças e possibilita desenvolvimento na saúde, alimentação,  ambiente e tecnologia. Dessa forma, é preciso valorizar a ciência e os pesquisadores. É fundamental enfatizar a relevância das produções científicas e divulgar tal conhecimento para a sociedade. A Fade-UFPE conta com um excelente time de cientistas que colaboram diariamente para o desenvolvimento de pesquisas.

Desse modo, convidamos alguns Pesquisadores e Doutores que encaram esse desafio de realizar ciência no Brasil para relatar suas experiências, dificuldades e prazeres, sob diversas perspectivas, para conhecer mais a trajetória trilhada pelos cientistas.   

Professora da UFPE e Secretaria Executiva da Fade: Maira Pitta

Líder do Núcleo de Pesquisa em Inovação Terapêutica Suely Galdino (Nupit SG) e do Laboratório de Imunomodulação e Novas Abordagens Terapêuticas (LINAT).  Na área científica, possui experiência nas áreas de doenças auto-imunes, Câncer, Imunogenética, ensaios pré-clínicos de descoberta de Fármacos, economia da saúde, avaliação de tecnologias em saúde e revisão sistemática. 

“O dia 08 de julho é uma data que chama atenção para a importância da produção científica e deve ser momento de atrair novos olhares para a ciência. A ciência é fundamental para o desenvolvimento da sociedade, através das pesquisas científicas é possível promover avanços significativos do conhecimento humano e gerar benefícios para a população. A história da ciência revela a grandeza e importância dos marcos que foram alcançados através dela ao longo do tempo e ressalta o papel crucial que ela deve ter, é necessário darmos cada vez mais visibilidade e valor ao conhecimento que é produzido através das pesquisas científicas. Diversos problemas enfrentados pela humanidade puderam ser resolvidos graças à existência da ciência. Na atualidade passamos pela pandemia da COVID-19 e mais uma vez essa importância das pesquisas científicas, através da busca por vacinas, medicamentos e testes, é ressaltada e nos mostra a relevância da ciência e dos pesquisadores, que fazem pesquisas com alto nível de qualidade mesmo com grandes desafios encontrados.”

Professora da UFPE: Judith Kelner

Co-fundadora e líder do time GRVM (Grupo de Realidade Virtual e Multimidia) no Centro de Informática da UFPE (CIn) e pesquisadora de realidade virtual e aumentada com extenso histórico de premiações e de parcerias com empresas.

“Sempre sonhei em ser professora, mas não imaginei que seria pesquisadora e que, com isso, teria vários desafios a superar como mulher em uma área dominada pelo sexo masculino. Hoje, percebo a importância de poder formar profissionais de qualidade e de inspirar as minhas alunas a realizarem os seus sonhos e poderem renovar as esperanças daquelas que ainda irão iniciar os primeiros passos na vida de pesquisadora. No dia 08/07, dia nacional da ciência e do pesquisador científico, não poderia deixar de homenagear aos parceiros e parceiras que me ajudaram nessa trajetória: agradeço aos meus professores e professoras, aos meus alunos e alunas, aos parceiros e parceiras de projeto, aos amigos e amigas que fiz na UFPE e na Fade, aos órgãos de fomento, e a minha família!”

Professor da UFAPE: José Romualdo de Sousa Lima

Pesquisador em Agronomia, com foco em Física do Solo, Agrometeorologia e Recursos Hídricos, atuando nos seguintes temas: evapotranspiração, biochar, conteúdo de água do solo, covariância eddy, fluxos de CO2, equilíbrio hídrico e energético.

“Cada dia mais em nosso Brasil, tem-se várias dificuldades para fazermos pesquisas de qualidade e que melhorem a vida das pessoas. As dificuldades estão relacionadas, principalmente, com a diminuição sistemática dos recursos financeiros, mas também com pessoas que não acreditam na Ciência. Devemos ter em mente que os recursos destinados para as pesquisas no Brasil, não são gastos, são investimentos. E, sendo assim, é dever do Estado promover o financiamento adequado da Ciência. Apesar de todas as dificuldades, tenho um prazer enorme em desenvolver pesquisas que tentem melhorar a vida das pessoas, principalmente as do Semiárido brasileiro.”

Agradecemos a todos os pesquisadores que contribuem com a ciência, especialmente para os que atuam na UFPE, UFPB, Univasf, UFAPE, IFPE e IF-Sertão-PE, juntos defendemos a ciência como um elemento essencial para a humanidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.