English English Français Français Deutsch Deutsch Português Português Español Español

Estudo com o ranking foi publicado no Journal Plos Biology. A UFPB é uma das instituições de ensino que contam com o apoio administrativo da Fade-UFPE 

Via Pedro Paz | Ascom UFPB

Sete pesquisadores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) estão entre os 100 mil cientistas mais influentes do mundo. O estudo com o ranking foi publicado em 16 de outubro, no Journal Plos Biology, revista científica que divulga, sob o sistema de peer review (revisão por pares), uma vasta gama de matérias sobre biologia. A UFPB é uma das instituições de ensino que contam com o apoio administrativo da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE (Fade) para a realização de projetos de ensino, pesquisa e extensão, dentre outras atividades de cunho cultural, esportivo, inovador e de desenvolvimento científico e tecnológico. Atualmente, a UFPB tem sete projetos em execução junto à Fade.

O levantamento foi conduzido por uma equipe da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos (EUA), liderada pelo médico-cientista grego-americano John Ioannidis, que tem diversas contribuições na área da medicina, sobretudo em epidemiologia e clínica médica. Para a fundamentação, foram utilizadas citações da base de dados Scopus, que atualiza a posição dos cientistas segundo o impacto de suas pesquisas ao longo da carreira e no último ano. No caso deste ranking, em 2019.

Confira a lista completa dos professores citados no ranking, em ordem alfabética: 

  • Damião Pergentino de Souza, do Programa de Pós-graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos; 
  • Dionísio Bazeia Filho, do Programa de Pós-graduação em Física; 
  • Edison Roberto Cabral da Silva, do Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica; José Maria Barbosa Filho, do Programa de Pós-graduação em Produtos Naturais e Sintéticos Bioativos; 
  • Knut Bakke, do Programa de Pós-graduação em Física; 
  • Maria de Fátima Agra, do Programa de Pós-graduação em Biotecnologia, e 
  • Valdir Barbosa Bezerra, do Programa de Pós-graduação em Física.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *