Fade-UFPE apoia a campanha Outubro Rosa: Conscientização e informação sobre o câncer de mama

A Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE apoia a campanha Outubro Rosa, promovida durante todo este mês, com o objetivo de divulgar a importância da prevenção e conscientização do câncer de mama, a fim de incentivar o diagnóstico precoce e reduzir a incidência da mortalidade pela doença.

A campanha do Outubro Rosa foi criada no início de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. Desde então, a data é celebrada anualmente para promover a conscientização do câncer de mama. A doença atinge milhares de pessoas todos os anos, sendo o segundo tipo de câncer mais frequente no mundo.No Brasil, o câncer de mama é o que mais mata mulheres. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA) foram estimados 66.280 casos novos de câncer de mama em 2021, com um risco de 61,61 casos a cada 100 mil mulheres. A incidência tende a crescer progressivamente a partir dos 40 anos, assim como o índice de mortalidade por essa neoplasia, especialmente por ser diagnosticada em estágio avançado.

O câncer de mama se origina com o crescimento descontrolado de células anormais que se multiplicam rapidamente e formam tumores, isso ocorre com mais frequência em mulheres com mais de 50 anos. Apesar de ser mais comum em mulheres, também pode atingir homens – cerca de 1% deles apresentam a doença no Brasil comparado a mulheres.

Os  fatores de risco que estão relacionados ao câncer de mama são o envelhecimento, histórico familiar de câncer de mama, consumo de álcool, atividade física insuficiente, excesso de peso e exposição à radiação ionizante. Alguns dos principais sintomas suspeitos da doença são: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja, alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas). É possível realizar medidas para identificar a incidência da doença.  

Veja abaixo uma lista de como constatar o diagnóstico precoce do câncer de mama: 

– O autoexame deve ser realizado pela mulher a partir dos 20 anos de idade, mensalmente, sete dias após a menstruação. Se for identificado o aparecimento de qualquer nódulo mamário deve-se procurar um médico, especialmente se for em mulheres com mais de 50 anos;

– O exame clínico é o exame de toque realizado por um médico;

– A mamografia é um raio-x das mamas, que ajuda a detectar os sinais de câncer de mama, antes mesmo do nódulo ser formado. É recomendado que mulheres com mais de 50 anos realizem esse exame a cada 2 anos. Ele pode ser feito por mulheres a partir dos 40 anos (opcional ou através de orientação médica);

– A ultrassonografia da mama é um exame que usa ondas sonoras para criar imagens dos tecidos de dentro da mama e auxilia a identificar alterações nos seios que indica o câncer;

– A biópsia é a remoção de uma pequena quantidade de tecido da mama para análise da presença ou não do câncer;

– Os testes de expressão gênica analisam os padrões de determinados genes para prever se existe o tipo de câncer de mama, em estado inicial.

Hoje existem duas áreas da medicina que lidam com o câncer de mama, a oncologia, que lida com todos os tipos de câncer, e a mastologia que está voltada para a saúde das mamas. O Ministério da Saúde indica que mulheres acima de 40 anos devem realizar a mamografia frequentemente. É importante se atentar aos sinais, pois com o exame preventivo em dia, existe a garantia da detecção precoce e aumento de chances de cura. 

Cuide-se e cuide de quem você ama.
A luta contra o câncer de mama é de todos e todas nós.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.