Projeto de grande porte que empenhou esforços durante mais de dez anos, o Instituto de Pesquisa em Petróleo e Gás/LITPEG foi inaugurado na última terça-feira (12) com solenidade que reuniu acadêmicos e pesquisadores e contou com a presença de Oscar Chamberlain, representante da Petrobras, financiadora do projeto, e Alfredo Renault, da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Nos dois dias seguintes (13 e 14) o prédio foi palco do I Workshop UFPE | Empresa, evento promovido pela Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE (Fade-UFPE) e pela Coordenação de Articulação e Promoção de Parcerias Estratégicas (Cappe/Positiva UFPE – Diretoria de Inovação).

O Workshop abordou questões e oportunidades tecnológicas que fazem parte da cadeia produtiva e do desempenho das atividades industriais no Brasil, e buscou integrar os profissionais de P&D do setor e especialistas da UFPE, alinhando as expertises científicas e tecnológicas da Universidade às necessidades da área de petróleo e gás natural. Foram 230 inscritos no evento, dentre professores e alunos da comunidade acadêmica da UFPE, bem como representantes de empresas e instituições do poder público.

A mesa de abertura do evento foi composta pelo Reitor Anísio Brasileiro; pelo Secretário de Desenvolvimento Econômico do Governo do Estado de Pernambuco, Bruno Schwambach; pela professora Ana Cristina Fernandes; pelo coordenador do Instituto, professor Paulo Lyra; e pelo Secretário Executivo da Fade-UFPE, Maurício Assuero.

Assuero destaca a importância da Fundação em todo o processo administrativo do projeto do LITPEG e vice-versa, uma vez que tal projeto foi um divisor de águas na estrutura administrativa da Fade, criando e estabelecendo a ideia de núcleos, cada um deles voltados para uma área e financiadora específica. “O papel da Fade foi fundamental. O uso do decreto 8241/2014 deu celeridade às aquisições permitindo que os investimentos fossem feitos num espaço de tempo relativamente curto. Sem isso, certamente que haveria entraves maiores. Além disso, o comprometimento da equipe do Núcleo ANP, responsável pela execução do projeto, merece destaque visto que houve uma boa integração com o coordenador do projeto, com o engenheiro responsável pela obra e, principalmente, com o financiador. Ocorreram inúmeras reuniões com a Petrobras no sentido de ajustar a execução dessa obra e a Fade se fez presente sempre que convocada”, afirma.

Mesa de abertura do I Workshop UFPE | Empresa. Maurício Assuero, Secretário Executivo da Fade-UFPE, foi um dos participantes.

Em seguida, coordenada por Maurício, a segunda mesa do dia contou com exposições da professora Solange Coutinho, da diretora de Relações Internacionais da UFPE, Maria Leonor Maia, e da Assessora Jurídica da Fade-UFPE, Rebeca Pernambuco, sobre as estruturas de interação UFPE-Empresa. A apresentação de Rebeca também abordou detalhes acerca do Marco Legal da Ciência, que flexibiliza e incentiva empresas privadas a investirem em projetos de pesquisa, ciência e inovação nas universidades brasileiras; além de estabelecer como viável e preferível a mediação de uma fundação de apoio na relação UFPE e empresa.

Danielle Anizia, Gerente de Projetos, e Rebeca Pernambuco, Assessora Jurídica da Fade-UFPE no I Workshop UFPE | Empresa.

Danielle Anizia, Gerente de Projetos da Fade, esteve presente no evento. Anizia foi a responsável por gerir o projeto do Instituto de Pesquisa em Petróleo e Gás e desempenhou um papel importantíssimo no desenvolvimento do LITPEG.

Finalizando a primeira parte do workshop, a mesa coordenada pela ex-secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Pernambuco, Lucia Melo, contou com exposições do diretor-presidente da Facepe, professor Abraham Sicsú, do diretor da ANP, José Carlos Tigre, além da professora Ana Cristina Fernandes. Foram discutidas as possíveis articulações do setor de P&G, apresentando as expertises da UFPE, apoio à pesquisa no estado e a ANP. Os participantes puderam, em seguida, participar de uma tour pelo prédio recém-inaugurado, além de estabelecerem contato com alguns dos 280 pesquisadores ligados ao Instituto.

Para Rebeca, “o Workshop foi um momento histórico de mudança no paradigma em busca de uma relação estreita entre Universidades e empresas. A UFPE apresenta suas potências e a forma de como as relações podem ser estabelecidas por meio de projetos de pesquisa e inovação, com o apoio da Fade-UFPE”. A expectativa agora é a de que a inauguração do Instituto, somada ao Workshop, resulte em novas parcerias frutíferas e mecanismos de captação de mais projetos de pesquisa para a UFPE e a Fade.

Sobre isso, Assuero afirma que o Instituto é “um marco para uma história que começa a ser escrita. A relação universidade-empresa precisa ser cada vez mais estreitada porque as necessidades das empresas podem ser respondidas pelo conhecimento inerente à universidade. Ademais, com a nova lei do Marco Legal, fica perfeitamente clarificado que há um ambiente propício para intensificar essa relação, já que foi definido com bastante precisão o papel de cada partícipe nos projetos, ou seja, a UFPE, a Fade e a empresa. Esperamos, portanto, que esse Workshop seja um atrator para novas oportunidades”. 

O sucesso desse projeto de tão grande porte é um fator instigante para todos que depositam esforços diários no desenvolvimento da ciência, da tecnologia e da inovação, ainda mais em um período tão difícil, em termos de investimentos, para a área. A entrega de um laboratório multidisciplinar, com a perspectiva de realizar pesquisas em áreas fundamentais como petróleo, gás e biocombustíveis, traz inúmeros benefícios para a UFPE, para o estado de Pernambuco e para a sociedade de modo geral. 

Fonte: Ascom UFPE