Fade-UFPE apoia projeto de Inovação na área da Saúde

A Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal de Pernambuco (Fade-UFPE) está apoiando o projeto “Apoio ao Desenvolvimento, Qualificação e Inserção do Ecossistema de Inovação em Saúde do Recife na Cadeia Global de Tecnologia e Inovação” firmado em parceria com o Centro de Tecnologia e Geociências da UFPE e com o Ministério da Saúde.

Ao considerar a perda de competividade das indústrias brasileiras, o atraso no desenvolvimento tecnológico e inovações no Brasil, que não tem domínio tecnológico e depende da importação de produtos e tecnologia impactando na politica de saúde publica, e a vulnerabilidade do Sistema Único de Saúde (SUS) que impacta no bem-estar da população, o projeto foi criado para desenvolver ações visando o desenvolvimento e qualificação da Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) e produção local de tecnologias estratégicas para saúde no âmbito regional em articulação com o governo, a universidade, a indústria e a rede de serviços de saúde da região nordeste, especialmente o estado de Pernambuco e a região metropolitana do Recife, em harmonia com as políticas sociais de saúde e desenvolvimento.

O Coordenador Geral do Projeto e professor do Departamento de Energia Nuclear, Carlos Brayner, disse que “a característica do sistema é articular todos para que ele funcione com excelência e sustentabilidade, oferecendo acesso de boa qualidade a saúde”. Ele ainda acrescentou que “o projeto prevê formação de mão de obra capaz de atrair empresas que precisem de funcionários qualificados. Com essa formação será possível também oferecer assistência técnica a empresas, pois, na maioria das vezes, a mão de obra vem de fora do país”, concluiu  o professor Carlos Brayner.

Além disso, o projeto vai apoiar oficinas, missões internacionais, estágios e treinamento no exterior e no Brasil, visando inserir o ecossistema local de Inovação em Saúde na cadeia internacional. Apoiar  mobilidade de profissionais para fortalecer as estratégias e politicas de inovação em saúde e amparar e desenvolver ações que favoreçam o processo de incorporação de tecnologia na saúde com eficiência, efetividade e segurança sanitária também faz parte dos objetivos desse ecossistema.

O esforço do projeto é em prol da melhoria da saúde e assim ampliar o acesso da sociedade a uma saúde de qualidade. Junto com essa ampliação vem à geração de renda e emprego, com a atração de empresas da área de tecnologia em saúde e o estimulo ao empreendedorismo.

 

UFPE cria Polo de Inovação em Saúde do Recife

O Polo de Inovação em Saúde do Recife (Recipólis) é uma iniciativa da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e faz parte do projeto “Apoio ao Desenvolvimento, Qualificação e Inserção do Ecossistema de Inovação em Saúde do Recife na Cadeia Global de Tecnologia e Inovação”, firmado em parceria com o Centro de Tecnologia e Geociências da UFPE e com o Ministério da Saúde.

O polo será um espaço de desenvolvimento de estudos científicos, em conjunto com diversas áreas de conhecimento da Universidade, e produção de equipamentos médicos, com o auxilio de investimentos públicos e privados.

De acordo com o Coordenador Técnico do Projeto, Paulo Antonino, a tecnologia na área da saúde brasileira possui um excelente nível cientifico com relevantes publicações  em revistas nacionais e internacionais, porém, há um abismo entre o desenvolvimento cientifico e o conhecimento gerado nas universidades.  “Contribuímos com muito conhecimento teórico, mas não contribuímos na construção do produto e da tecnologia. O projeto quer reduzir esse abismo atraindo o setor produtivo para desenvolver soluções junto com os Laboratórios da UFPE e com o  Governo, desenvolvendo soluções e inovações tecnológicas  na área de saúde para serem aplicadas ao SUS. O papel do ecossistema é articular com esses conhecimentos disponíveis na universidade e fazer com que esse conhecimento chegue à sociedade. Além disso, apoiar e realizar ações de desenvolvimento institucional e de qualificação do Polo de Inovação em Saúde do Recife.”, disse Antonino.

O Polo de Inovação em Saúde do Recife também tem como objetivo apoiar e desenvolver ações de empreendedorismo inovador que favoreça a criação de Startup’s e Spin-off, visando a difusão da cultura do empreendedorismo e inovação como fonte geradora de riqueza e bem estar. Com essa intenção, o Polo, a Fundação Altino Ventura e a Universidade Federal de Pernambuco realizaram – em parceria com o Ministério da Saúde, o Governo de Pernambuco, a Prefeitura de Vitoria de Santo Antão e o SEBRAE – o Innovathon 2017- Maratona de Inovação e Empreendedorismo, que aconteceu em Vitória de Santo Antão. O tema geral foi Inovação & Inclusão Social de Pessoas com Deficiência, com o objetivo de despertar entre os alunos, docentes e a comunidade, a cultura do empreendedorismo e inovação por meio de palestras, debates, desenvolvimento de modelos de negócios, competição e premiação de projetos. O Innovathon iniciou com um seminário franco brasileiro que discutiu as questões de empreendedorismo, inovação e também a problemática das pessoas com deficiência que foi a introdução para desenvolver as ideias dos alunos. Paulo Antonino disse que “a jornada de inovação permitiu aos participantes desenvolver ideias com modelo de negócios, pensando no mercado de tecnologia para o bem estar humano”, disse.  Os participantes desenvolveram ideias e projetos voltados para pessoas com deficiência visual, auditiva, motora e cognitiva.

Orgy