O Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (CONFIES) publicou nesta quinta-feira (2) uma nota sobre o corte de 30% das verbas direcionadas às universidades públicas brasileiras.

No texto, o presidente do Conselho, Fernando Peregrino, afirma que tais medidas, se não forem suspensas, poderão gerar “um profundo e irreversível desmonte das ações de ensino, pesquisa e inovação a cargo dessas instituições, comprometendo seriamente o futuro da nação brasileira”.

Confira a nota na íntegra:

“Todos sabem que o CONFIES (Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica) e suas fundações afiliadas têm natural e profundo compromisso com as atividades de ensino e pesquisa conduzidas pelas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES).

As fundações de apoio só existem por conta de suas apoiadas. Isso nos orgulha pois são mais de 22 mil projetos gerenciados por ano.

Aliás, essas universidades públicas são responsáveis por 95% da produção científica do País, segundo dados da Academia Brasileira de Ciências (ABC) deste ano.

Por isso, estamos perplexos com a medida que prevê cortes de 30% nos orçamentos dessas universidades. Sobretudo pelas alegadas motivações comportamentais. É outro erro de lógica confrontar o ensino básico, ou o infantil, com a graduação, desconhece-se que os bons professores do primeiro são egressos do segundo e que o País está entre os piores em qualidade nesse nível de ensino.

Resta-nos apelar para que o MEC (Ministério da Educação) suspenda essas medidas antes que ela promova um profundo e irreversível desmonte das ações de ensino, pesquisa e inovação a cargo dessas instituições comprometendo seriamente o futuro da Nação brasileira.

Fernando Peregrino – Presidente do Confies

Rio de Janeiro, 02 de maio de 2019″

Fonte: Ascom Confies