Campanha Conhecimento Sem Cortes inaugura terceiro Tesourômetro em Brasília

O painel eletrônico que monitora, em tempo real, os cortes no orçamento da ciência, tecnologia e educação no Brasil ficará exposto na 608 Sul, no Plano Piloto. O lançamento será realizado nesta quarta-feira, dia 9 de agosto, com um debate na UnB, e contará com a participação do presidente da SBPC entre outros convidados

A campanha nacional Conhecimento Sem Cortes inaugura em Brasília, nesta quarta-feira, 9 de agosto, o terceiro “Tesourômetro”, painel eletrônico que monitora, em tempo real, os cortes no orçamento da ciência, tecnologia e educação no Brasil. Para marcar o lançamento, a Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB) realiza em sua sede, no Campus Universitário Darcy Ribeiro, uma mesa de discussão sobre a campanha, às 17h.

O novo painel será instalado na 608 Sul, no Plano Piloto da capital do Distrito Federal. O primeiro Tesourômetro foi lançado no dia 22 de abril, durante a Marcha Pela Ciência no Brasil, no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), no Rio de Janeiro. No dia 18 de julho, durante a 69ª Reunião Anual da SBPC, a campanha inaugurou seu segundo painel no campus Pampulha da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte.

O objetivo é revelar ao público, minuto a minuto, as perdas do financiamento federal voltado para as áreas de educação, ciência e tecnologia, nos anos de 2016 e 2017, em relação a 2015. De acordo com os cálculos realizados pelo economista Carlos Frederico Leão Rocha, professor do Instituto de Economia da UFRJ, divulgados pelos organizadores da campanha Conhecimento Sem Cortes, o setor de ciência e tecnologia do País vem perdendo cerca de R$ 500 mil por hora, ou mais de R$ 8 mil por minuto, em investimentos federais desde 2015. Um total assombroso de R$ 11 bilhões em cortes. Essas reduções significam uma perda de cerca de 50% do total de financiamento para a produção de conhecimento nesses dois anos.

O evento em Brasília contará com a participação do presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira, e representantes da Academia Brasileira de Ciências (ABC), da Associação dos Docentes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (AdUFRJ) e da Associação dos Professores da Universidade Federal de Minas Gerais (ApuBH).

“É um momento marcante da nossa campanha, considerando que estaremos junto de nossos parceiros conversando sobre a situação da educação, ciência, tecnologia e inovação no País. O evento em Brasília é uma oportunidade de chamar atenção dos políticos e, principalmente, daqueles atuando na Frente Parlamentar de Ciência, Tecnologia, Pesquisa e Inovação”, declaram os organizadores do evento.

Petição

Além dos tesourômetros, a campanha #Conhecimentosemcortes está colhendo assinaturas para uma petição contra o desmonte que ameaça a universidade pública e as áreas de ciência, tecnologia e humanidades. Mais de trinta mil pessoas já assinaram o documento online, que tem como objetivo chegar a 50 mil participantes. Para participar, basta clicar neste link e preencher o formulário.

A campanha, que conta com o apoio da SBPC, reforça a necessidade de uma mobilização social pela valorização do conhecimento científico, acadêmico e tecnológico do Brasil, principal caminho para superar a crise e avançar em direção ao desenvolvimento sustentável e justo do País.

A petição ressalta que os cortes drásticos resultaram no pior orçamento das áreas de ciência, tecnologia e humanidades dos últimos 10 anos. Mais grave ainda é que novos cortes de recursos e em programas de pesquisa vêm sendo anunciados todos os meses. “A sociedade brasileira está rapidamente perdendo sua estrutura de produção de conhecimento e formação profissional”, alerta o texto da petição.

O abaixo-assinado pede a garantia do pleno funcionamento das universidades públicas e dos institutos de pesquisas; a garantia da continuidade de bolsas de estudo e políticas de permanência para estudantes nas universidades, especialmente cotistas; a retomada de investimentos em ciência, tecnologia e pesquisa nos mesmos patamares de 2014; e a retirada de Educação e Saúde do teto de gastos imposto pela Emenda Constitucional 95.

A SBPC ressalta que a participação de todos é fundamental para que a Campanha tenha a força necessária para pressionar o governo federal a garantir condições de funcionamento às instituições de ensino superior e de pesquisa do País.

Fonte: Jornal da Ciência

Orgy