Requerimento, aprovado, destaca o levantamento do MCTIC e do CONFIES que mostra que os cientistas brasileiros perdem, em média, 35% do tempo de estudo com serviços burocráticos

Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Por: Assessoria de Imprensa/Confies

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática da Câmara dos Deputados realizará audiência pública sobre a burocracia da pesquisa, com ênfase na atuação dos órgãos de controle e no desenvolvimento científico e tecnológico do País. O requerimento, aprovado na última reunião da CCT pelo presidente da Casa, deputado Felix Mendonça Junior, atende ao pedido do CONFIES (Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica. O evento ainda não tem data marcada, mas deve acontecer na primeira quinzena de maio.

Convidados

Conforme o requerimento, são convidados para o debate, além do presidente do CONFIES, Fernando Peregrino, o presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira.  O presidente da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil (Andifes), Reinaldo Centoducatte. Também Carlos Octaviano de Medeiros Mangueira, Procurador Federal (Advocacia Geral da União), Procurador-Geral da Universidade Federal da Paraíba e Coordenador do Fórum de Educação da Procuradoria-Geral Federal/AGU. Antônio Carlos Bezerra Leonel, Secretário Federal de Controle Interno da Controladoria Geral da União (CGU); Alfredo Renault, Superintendente da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP); e Antônio Carlos de Carvalho, do Centro Nacional de Biologia Estrutural e Bioimagem (CENABIO) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Justificativa

Como justificativa, o requerimento de Mendonça Junior considerou o levantamento realizado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e CONFIES que, segundo o qual, os cientistas brasileiros dedicam, em média, 35% do tempo de estudo com serviços administrativos, inviabilizando a execução de projetos, em alguns casos.