UFPE sedia workshop sobre conjunto de contratos padronizados para transferência de tecnologia

O Lambert Toolkit Workshop, que apresenta um conjunto de contratos padrão para transferência de tecnologia, foi realizado no dia 21 de março de 2018, no auditório do Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (Ceerma), no Campus Recife da UFPE. O evento reuniu representantes de universidades, centros de inovação, parques tecnológicos, indústria, spin outs e venture capitals, além de pesquisadores, inventores e advogados.

O kit de contratos Lambert Toolkit visa a facilitar e estimular parcerias entre a academia e a indústria, incentivando a inovação. Os modelos de contratos estão adequados às legislações brasileira e britânica e servem de reflexão para a construção de modelos específicos. A versão brasileira é fruto de um acordo de cooperação entre o Escritório de Propriedade Intelectual do Reino Unido (UKIPO) e o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) e conta com vários parceiros e apoiadores. “Esse workshop traz, através desses modelos, reflexões para a escolha de modelos mais acertados, mais justos, mais equilibrados para as partes de modo a favorecer que cheguem ao mercado”, afirmou o diretor adjunto da Positiva – Diretoria de Inovação da UFPE, Sérgio Aguiar.

A Fade-UFPE também esteve presente ao longo do encontro. Rosali Albuquerque, Assessora de Planejamento, Sâmia Sindeaux, Gerente Financeira do Núcleo de Projetos de Informática, e Rebeca Pernambuco, Assessora Jurídica, participaram do workshop que, segundo Albuquerque, representou um grande avanço não só para a UFPE como também para toda a comunidade acadêmica: “muito interessante perceber o interesse da Oxentia em vir até a UFPE para realizar o workshop. Isso demonstra a importância não só da nossa Universidade, mas também da região nordeste e do país no contexto de ciência, tecnologia e inovação. Diversas universidades, tanto públicas como também privadas, estiveram presentes, não somente de Pernambuco, mas de toda a região”, afirmou.

Para Rebeca Pernambuco, o Lambert Toolkit significa um passo estratégico certeiro para a área de CT&I. “A Universidade deu um passo estratégico e importante em busca da produção de relações com objetivo inovador. Pensar o futuro da ciência e tecnologia no Brasil desassociado da inovação é algo estagnante. Caminhar ao lado de uma Universidade que pensa futuro e busca o aprendizado e estratégias na área de inovação é animador. Foi um tempo de aquisição de conhecimentos e troca de relacionamentos de extrema importância”, disse.

Sobre a presença da Fade-UFPE no workshop, Rosali comenta: “foi de extrema importância estar presente neste evento, já que nosso trabalho, apoiando a UFPE ao lado da Positiva, é baseado na relação universidade-empresa. É imprescindível para nós, que estamos o tempo todo em contato com projetos e pesquisas acadêmicas, o aprendizado em relação a esse método que agrega tanto à produção de conhecimento. A partir do Lambert Toolkit nós poderemos estabelecer uma justa negociação de patentes e propriedade intelectual. O workshop foi de ótima qualidade, pois além de nos apresentarem o kit de contratos, pudemos, a partir de grupos de trabalho, aplicá-lo em diferentes casos a fim de aprendermos de forma prática como funciona”.

O cônsul britânico no Recife, Graham Tidey, participou da abertura do workshop e reiterou o interesse do Reino Unido em intercâmbios e parcerias com o Brasil: “queremos construir um futuro de inovação, por isso estamos aqui”, disse. O workshop é ministrado pela Consultoria de Inovação Global da Universidade de Oxford (Oxentia). A promoção do evento tem parceria do Ukipo, do INPI, do Conselho Britânico e da Positiva – Diretoria de Inovação da UFPE.

 

Comunicado sobre Aplicação do Decreto n° 9.287/2018

A Fade-UFPE comunica a todos os coordenadores de projetos que os veículos adquiridos através de Projetos Institucionais de Ensino, Pesquisa, Extensão e Desenvolvimento devem atender ao Decreto nº 9.287/2018, que dispõe sobre a utilização de veículos oficiais no Executivo Federal, sendo necessária a adequação dos mesmos ao instrumento legal em vigor, de acordo com Memorando Circular nº 002/2018-GR.
Atenciosamente

UFPE e Fade participam do 8º Fórum Mundial da Água

O Fórum Mundial da Água é o maior evento global sobre o tema água e é organizado pelo Conselho Mundial da Água, uma organização internacional que reúne cerca de 400 instituições relacionadas à temática de recursos hídricos em aproximadamente 70 países. O Conselho é composto de representantes de governos, da academia, sociedade civil, de empresas e organizações não governamentais, todos com uma mesma missão: “promover a conscientização, construir compromissos políticos e provocar ações em temas críticos relacionados à água para facilitar a sua conservação, proteção, desenvolvimento, planejamento, gestão e uso eficiente, em todas as dimensões, com base na sustentabilidade ambiental, para o benefício de toda a vida na terra”.

Nesta edição, tanto a UFPE quanto a Fade-UFPE estarão representadas ao longo do encontro. O projeto de pesquisa intitulado “Ciência Inovadora e Diálogo Político Influente para a Segurança Hídrica nas Américas Áridas”, realizado pela UFPE em parceria com a Universidade do Arizona e administrado pela Fade-UFPE, foi selecionado para ser apresentado durante o Fórum. O projeto é coordenado por Alfredo Ribeiro Neto, professor de engenharia civil da UFPE, e conta com Suzana Lima Montenegro, secretária executiva da Fade-UFPE, no posto de pesquisadora doutora. Alzira Saraiva Souza e Maria Tereza Dutra também estão presentes no corpo executor da pesquisa.

A Fade-UFPE tem sido uma parceira importantíssima para a UFPE, viabilizando e auxiliando diversos projetos produzidos em conjunto com outras universidades brasileiras e também internacionais. Um exemplo desse trabalho foi o premiado artigo científico que sugeriu um novo método diagnóstico de identificação do Zika Virus, desenvolvido a partir de um projeto de pesquisa – apoiado pela Fade – envolvendo o Lika-UFPE e a Universidade de Nagasaki.

Alfredo Ribeiro e Suzana Montenegro estarão presentes em Brasília para apresentar o projeto e adquirir novos conhecimentos acerca do tema. Montenegro aponta a importância da participação da UFPE no Fórum: “sendo o evento mais importante a respeito de recursos hídricos por conta de sua abrangência mundial, alcançando diferentes públicos, regiões e afins, é de grande importância, para nós da UFPE, participar do Fórum. Tivemos a oportunidade de, através do projeto, propor uma sessão. Essa sessão está relacionada ao que nós chamamos de processo temático, mais especificamente com o tema clima, que tem toda uma relação com a água.”

Alfredo, que coordena a sessão, explica qual a temática e quais os objetivos do debate: “essa sessão está sendo organizada no âmbito do projeto, do qual sou coordenador e ao qual a Fade-UFPE oferece apoio administrativo. O título da sessão é “Superação das Barreiras Técnicas de Comunicação para Integrar Informações da Ciência do Clima na Tomada de Decisão sobre os Recursos Hídricos e Adaptação às Mudanças Climáticas”. A ideia principal é debater sobre como a informação gerada na academia, nessa interface entre ciência do clima e recursos hídricos, pode subsidiar gestores e tomadores de decisão acerca de, por exemplo, elaborações de políticas públicas que visam reduzir vulnerabilidades hídricas de comunidades carentes”.

O evento é organizado a cada três anos pelo Conselho Mundial da Água juntamente com o país e a cidade anfitriã. Ao todo, já ocorreram sete edições do evento em sete países de quatro continentes: África, América, Ásia e Europa. A realização desse encontro contribui para o diálogo do processo decisório sobre o tema em nível global, visando o uso racional e sustentável da água. A candidatura do Brasil para sediar o evento foi aprovada em 2014 e, dessa maneira, em 2018 é Brasília que recebe a 8ª edição do Fórum, sendo esta a primeira vez que o Fórum ocorre no Hemisfério Sul. O encontro acontecerá de 18 a 23 de março de 2018. Os debates e demais atividades do Fórum ocorrerão no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, enquanto a Vila Cidadã e a Feira serão sediadas no Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha.

Sobre a participação no evento, a professora Suzana diz que “ o debate será muito rico, pois o Fórum tem um processo organizacional que garante a participação de diferentes setores e a academia se insere muito bem nesse processo. Nosso projeto, financiado pelo IAI (Inter-American Institute for Global Change Research), tem justamente como tema central o diálogo e a ciência política, no sentido de direcionamento de questões relacionadas à água, à gestão, à conservação, etc. Daí a importância de participarmos de um evento desse porte. Essa participação terá um grande retorno não só para o projeto, mas também para a UFPE, nas discussões em sala de aula, na elaboração de projetos futuros, enfim. É uma grande oportunidade para a nossa universidade, para o setor de recursos hídricos – com o apoio e a gestão administrativa da Fade – e para o país”. 

O professor Alfredo endossa a fala de Montenegro, apontando as diversas instituições que estarão presentes na sessão coordenada por ele: “Também participarão da sessão outras instituições que são parceiras do projeto, como a International Water Security Network, que também é um projeto e trata de segurança hídrica e a Rede Brasileira de Pesquisa sobre Mudanças de Clima, da qual fazem parte pesquisadores e professores do Departamento de Engenharia Civil da UFPE. Além disso, outras instituições também deverão contribuir com o moderador ou palestrante, como é o caso da French Water Partnership, da França, o Corpo de Engenheiros do exército dos EUA, o Centro de Estudos em Sustentabilidade, da Fundação Getúlio Vargas, e a Monash University, da África do Sul. A sessão está programada para acontecer na quinta-feiera, dia 22 de março, pela manhã”.

O projeto conta com grupos de pesquisa de cinco países das Américas com larga experiência no tema recursos hídricos em regiões semiáridas. Com o intuito inicial de mapear mudanças globais de importância, o estudo busca gerar novos conhecimentos sobre fenômenos naturais e as dimensões humanas, além de desenvolver estratégias de comunicação e implicações políticas.

Fonte: http://www.worldwaterforum8.org/

Conselho Nacional das Fundações de Apoio lança a Rede TV CONFIES

Em busca de uma melhor divulgação dos trabalhos arduamente desenvolvidos pelas 132 universidades e institutos de ciência e tecnologia espalhados pelo país, o Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies) deu início ontem, no dia 15 de março, à Rede TV Confies.  Inicialmente, quinze fundações de apoio, espalhadas por todas as regiões brasileiras, fazem parte do projeto, que consiste num serviço de TV OTT – Over the Top, ou seja, de difusão audiovisual pela internet.

A Rede TV CONFIES é uma rede de apoio ao desenvolvimento da inovação, uma vez que muitas tecnologias desenvolvidas nas universidades sequer são conhecidas de empresários, governos, agentes públicos e outros usuários e, portanto, nunca se transformarão em novos produtos e serviços. Para se ter uma ideia, são 22 mil projetos de pesquisa por ano geridos pelas fundações, os quais envolvem mais de 60 mil colaboradores e bolsistas e que, infelizmente, dificilmente encontram espaço na mídia.

Para a Profa. Suzana Montenegro, Secretária Executiva da Fade-UFPE e Vice-Presidente do Confies,  o projeto terá impactos positivos em todo o sistema de CT&I: “eu estou muito confiante com o sucesso desse novo projeto do Confies, a TV Confies. Acredito que isso representa uma nova perspectiva em termos de comunicação interna e externa, de divulgação de conteúdo e do que fazemos de fato nas fundações de apoio. A TV tem um papel fundamental no fortalecimento da atuação das fundações de apoio dentro do sistema nacional da ciência, da tecnologia e da inovação devido à tarefa de divulgar o importantíssimo trabalho feito diariamente por cada uma delas. Isso é bom para todo o sistema”.

O projeto conta com o apoio tecnológico do COPPE/UFRJ, desenvolvedor da Plataforma TVer. Segundo o pesquisador Sergio Duque Estrada do laboratório responsável, “a TVer OTT se propõe a organizar e distribuir por categoria os conteúdos que, atualmente, se encontram dispersos na Internet, reforçando uma tendência de crescimento mundial das Redes de TV por afinidades, facilitando o acesso do espectador que busca um Canal dessa natureza”.

A modalidade de TV OTT tem crescido exponencialmente no mundo inteiro, disputando com o mercado de TV aberta e por assinatura. Aqui no Brasil, um exemplo é a Netflix, serviço que distribui séries e filmes por demanda a uma clientela cada vez maior. A inserção das fundações de apoio nesse meio de disseminação de informações tende a ampliar e melhorar cada vez mais a imagem das mesmas e também do Confies perante o público, além de alcançar uma maior integração com os moldes atuais da comunicação e valorizar o trabalho árduo das fundações de apoio às universidades responsáveis por mais de 90% da pesquisa do país.

Confira a TV Confies na íntegra clicando no link a seguir: http://34.239.218.178/pages.

Fonte: http://m.jb.com.br/sociedade-aberta/noticias/2018/02/28/uma-rede-de-tv-de-apoio-a-inovacao/

Publicação da Seleção Pública LITPEG nº 001/2018

AVISO DE SELEÇÃO PÚBLICA N° 001/2018
Tornamos público o aviso de realização da Seleção Pública n° 001/2018, destinada à contratação de pessoa jurídica para implementação de quadros elétricos para o Laboratório Integrado de Tecnologia em Petróleo, Gás e Biocombustíveis (LITPEG-UFPE), cuja sessão acontecerá no dia 27/03/2018, às 10h (horário local), na sede da Fade-UFPE, Rua Acadêmico Hélio Ramos, 336, Cidade Universitária, Recife/PE.

Clique aqui para fazer o download do edital.

Anexo I – Descrição do Objeto

Anexo II – Projeto Básico

Anexo II.1 – Planilha de Preço dos Serviços e Quantitativos A e B

Anexo III – Modelo de proposta e cronograma físico-financeiro

Anexo IV – Designação de responsável técnico

Anexo V – Vistoria técnica

Anexo VI – Minuta contratual