Fade-UFPE participa do II Simpósio Internacional de Geografia do Conhecimento e da Inovação

O II Simpósio Internacional de Geografia do Conhecimento e Inovação (II SIGCI), evento fomentado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco SECTI-PE em parceria com o Grupo de Pesquisa em Inovação, Tecnologia e Território – GRITT, da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE, ocorreu durante os dias 26 a 28 deste mês de novembro. O objetivo do encontro foi, principalmente, promover uma aproximação entre pesquisadores interessados em reflexões conceituais e observações empíricas em torno da Inovação Inclusiva, particularmente no âmbito de regiões e nações menos desenvolvidas, assim como o estímulo ao debate interdisciplinar. Como resultante, pretendia-se chegar a uma agenda de pesquisa e políticas públicas através da interlocução entre pesquisadores, líderes e empreendedores sociais de comunidades locais.

Rosali Albuquerque, Assessora de Planejamento da Fade-UFPE, apresentando artigo no II SIGCI / Foto: Letícia Fernanda Lima/Fade-UFPE

A Assessora de Planejamento da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal de Pernambuco (Fade-UFPE), Rosali Albuquerque, esteve presente na sessão temática “Pesquisa e inovação inclusiva: o papel da universidade” nesta terça-feira (28), dia final do II SIGCI, para apresentar o artigo desenvolvido por ela e pela Coordenadora de Comunicação Corporativa da Fundação Profa. Tanúzia Vieira. Intitulado “Fundação de apoio e instituição apoiada: importância da relação para o desenvolvimento da pesquisa e da inovação”, a proposta do trabalho foi a de mostrar questões relevantes da relação entre as fundações de apoio e as universidades apoiadas no desenvolvimento da CT&I tendo como estudo de caso a Fade-UFPE.

O II SIGCI teve como sede a Biblioteca Central da UFPE, e contou com um público que ia além de pesquisadores e estudantes de diversas áreas de conhecimento: gestores públicos e formuladores de política em CT&I também participaram do evento. A participação da Fade-UFPE no II SIGCI demonstra o quão imprescindível é a relação entre as fundações de apoio e as universidades para o desenvolvimento da ciência, da tecnologia, da inovação e, sobretudo, para a disseminação dessas em toda a sociedade, fomentando a evolução da nossa realidade.

Lika-UFPE é agraciado com premiação de 3ª melhor apresentação oral no 11th Congress of Pharmaceutical Sciences

O Laboratório de Nanotecnologia Farmacêutica e Bioquímica do Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami da Universidade Federal de Pernambuco (LNFarm/LarNano/LIKA-UFPE) foi agraciado com o terceiro lugar na premiação das melhores apresentações orais de todo o 11th Congress of Pharmaceutical Sciences, maior evento de ciências farmacêuticas da América do Sul. O evento ocorreu entre os dias 15 e 18 de novembro de 2017 em Ribeirão Preto – SP.

A apresentação oral premiada foi um destaque dentre os 800 participantes de mais de 12 nacionalidades que estiveram presentes no Congresso. Intitulada “Giving sense to the nonsense: The readthrough effect of G418-Loaded Liposomes on MDA-MD-231 Cells Containing a Premature Termination Codon”, a exibição do trabalho foi feita pelo aluno de graduação Victor Passos, aluno da Professora Nereide Magalhães, do Departamento de Farmácia da UFPE.

O Professor José Luiz de Lima Filho, docente da UFPE e diretor científico do LIKA, comentou a importância dessa premiação para o Laboratório: “Esta é uma das principais áreas de pesquisa do LIKA e uma das mais promissoras do mundo na área de nanotecnologia para produtos farmacêuticos. O desenvolvimento de tecnologia de encapsulamento de medicamentos e/ou outros produtos para uso terapêutico poderá favorecer, no futuro, o uso da medicina personalizada, ou seja, uma quantidade menor de medicamento gerando um maior efeito terapêutico. Além dessas vantagens, esperamos que, com a formação de recursos humanos em áreas de tecnologia de ponta na UFPE, possamos atrair empresas já existentes no mundo ou estimular a formação de startups nesta área fundamental para o desenvolvimento científico e tecnológico do Brasil. Em todo este cenário está o LIKA e a UFPE”.

O LIKA foi inaugurado em 23 de abril de 1986 e, três anos após a sua criação, foi transformado em órgão suplementar da UFPE por decisão do Conselho Universitário através da Resolução nº 01/89 de 06/04/89. Em outubro de 1990, o Setor de Pesquisas Clínicas do LIKA, habilitado para atuar nas áreas de endoscopia, ultrassonografia e radiologia, foi inaugurado dentro do Hospital das Clínicas da UFPE.

A Fade-UFPE é gestora administrativo-financeira de alguns projetos de pesquisa desenvolvidos pelo LIKA. Recentemente, um artigo sobre um novo método de detecções do vírus Zika produzido pelo LIKA foi publicado na conhecida revista Nature, e o projeto que norteou esse resultado foi apoiado pela Fundação.

LITPEG-UFPE realiza workshop com apoio da Fade-UFPE e da POSITIVA

O Laboratório Integrado de Tecnologia em Petróleo, Gás e Biocombustíveis (LITPEG) realizará, no dia 07 de dezembro de 2017, das 8h30min às 18h30min, o “Workshop LITPEG-UFPE e Petrobras”. O evento acontecerá no Centro de Estudos e Ensaios em Risco e Modelagem Ambiental (CEERMA), localizado na Av. da Arquitetura, 211-351 – Cidade Universitária, Campus UFPE.

O workshop, que tem o apoio da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), da POSITIVA e da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal de Pernambuco (Fade-UFPE), será um evento fechado e contará com cerca de 80 convidados.

A Fade estará representada pela Professora Suzana Montenegro, pela Gerente de Projetos Danielle Anizia, pela Assessora de Planejamento Rosali Albuquerque e pela Coordenadora de Comunicação Corporativa Tanúzia Vieira. Na ocasião, a Professora Suzana apresentará as principais ações desenvolvidas pela Fundação na área de tecnologia em petróleo, gás e biocombustíveis.

Conselho Nacional das Fundações de Apoio realiza Encontro Nacional

Nos dias 29 e 30 de novembro e 1º de dezembro, o Conselho Nacional das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies) realizará o seu 35º Encontro Nacional. A organização do evento, neste ano, ficou a cargo da Fundação Universitária de Desenvolvimento de Extensão e Pesquisa (Fundepes). O evento será no Centro de Exposições Ruth Cardoso, em Jaraguá, Maceió – AL.

Com o tema “Fundação de Apoio: Avaliação e Perspectivas – uma jornada em prol da pesquisa e inovação”, o Encontro contará com a participação de mais de 90 fundações que apóiam mais de 150 instituições de pesquisa, parlamentares, reitores, cientistas, empresários, gestores de projetos, órgãos de controle, entre outros. Durante o evento estarão sendo debatidos cortes de verbas, políticas de transparência, gestão de projetos, além de outros assuntos de interesse da sociedade sobre ciência e inovação. Os temas estão organizados em mesas temáticas, oficinas, e debates que resultarão em um documento oficial da instituição.

A Fade-UFPE estará presente através da participação da professora Suzana Montenegro, Secretária Executiva e Vice Presidente do Confies; professor Maurício Assuero, representante da UFPE na Fundação, Paulo Guedes, Coordenador Executivo; Rebeca Pernambuco, Assessora Jurídica; Danielle Anizia, Gerente de Projetos; Iraci Pereira, Gerente de Recursos Humanos; Rafael Holanda, Advogado da Fundação; Sâmia Sindeaux, Gerente Financeira e de Projetos e Tanúzia Vieira, Coordenadora de Comunicação Corporativa. O evento é um espaço de aprendizado e uma oportunidade para o debate e a disseminação de informações importantes para as fundações de apoio e seus parceiros.

Fade-UFPE participa do 9º Congresso Brasileiro de P&D em Petróleo e Gás

Na semana passada, entre os dias 9 e 11 de novembro, ocorreu a 9º edição do Congresso Brasileiro de P&D em Petróleo e Gás – PDPETRO, realizado pela Associação Brasileira de Pesquisa e Desenvolvimento em Petróleo e Gás (ABPG) em associação com a Universidade Federal de Alagoas (UFAL), e o evento, realizado a cada dois anos, ocorreu no Maceió Atlantic Suítes, em Maceió – AL. Segundo o Prof. Sérgio Nascimento Bordalo, Presidente da ABPG, “o objetivo do Congresso é reunir pesquisadores, estudantes e profissionais da indústria de petróleo, gás e biocombustíveis para discutir os avanços científicos e tecnológicos da área”.

O Presidente da Comissão Organizadora do Congresso, Prof. João Paulo Lima Santos, contou que “a edição do congresso apresenta uma programação diversificada, contando com a colaboração de mais de 400 trabalhos técnicos oriundos de diversas instituições do país”, e agradeceu, em seguida, ao quadro de docentes e discentes da UFAL pela parceria na execução do evento.

A Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal de Pernambuco (Fade-UFPE) foi representada pela Gerente de Projetos, Danielle Anizia, e pela CAPPE – Positiva (UFPE), participou Arlindo Teixeira. “O propósito da participação da Fade é divulgar as competências da UFPE na área de petróleo e gás, além de estreitar relações com os agentes envolvidos neste setor produtivo”, explicou Anizia.

O corpo docente da UFPE integrou o Congresso não só como espectador mas também como palestrante. O Prof. Mário Ferreira Lima do Departamento de Geografia da UFPE, ex-Assessor da Diretoria de Exploração e Produção da ANP, ministrou o minicurso “Novas fronteiras exploratórias offshore no Brasil” em dois momentos diferentes do encontro. Além dele, o Prof. Florival Rodrigues de Carvalho, do Departamento de Engenharia Química da UFPE e ex-diretor da ANP, compartilhou seus conhecimentos num painel cujo tema foi “Os caminhos para inovação na cadeia de petróleo e gás”.

Participar de eventos como este é parte da missão da Fade-UFPE, parceira e administradora de vários projetos da área de petróleo e gás desenvolvidos pela UFPE.

Lika-UFPE publica artigo na revista Nature sobre novo método de detecções rápido para o vírus Zika

O Laboratório de Imunonopatologia Keizo Asami da Universidade Federal de Pernambuco (Lika-UFPE), em parceria com  o Institute of Tropical Medicine (NEKKEN), o Graduate School of Biomedical Sciencesand Program for Nurturing Global Leaders in Tropical and Emerging Communicable Diseases, da Nagasaki University, publicaram um paper na Nature, revista científica interdisciplinar britânica, sobre um novo método de detecções rápido para o vírus Zika. O artigo contou com a contribuição dos pesquisadores do Lika-UFPE, da sua Pós-Graduação e do Círculo do Coração de Pernambuco.

O projeto para o desenvolvimento desse novo método contou com o apoio administrativo da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Universidade Federal de Pernambuco(Fade-UFPE) e foi desenvolvido pelo Lika-UFPE em parceria com a Universidade de Nagasaki, no Japão. O coordenador do Projeto, Professor José Luiz Lima Filho, disse que “o novo método poderá, dentro de um período de 3 minutos, realizar teste em amostras biológicas da presença do vírus da Zika e a ideia é trabalhar para utilizarmos em outros tipos de vírus”. Ele ainda acrescentou que “a presença de pesquisadores do Lika e de estudantes da pós-graduação do laboratório na pesquisa fez com que o estudo fosse realizado com mais rapidez, enquanto que a logística e a gestão do projeto pela Fade-UFPE foi fundamental para a sua viabilidade. É um momento muito importante para nós do Lika-UFPE, pois concretiza a nossa capacidade de produzirmos trabalhos de qualidade mundial associados a grupos de pesquisas de outros países”.

A pesquisa, além de favorecer o diagnóstico preciso para identificar as infecções por Zika Virus, gera novos conhecimentos sobre o diagnóstico e prepara melhor a comunidade para futuros surtos. A expectativa é que o novo método esteja disponível para a sociedade em um ou dois anos.

Orgy