Finep financia projetos para o desenvolvimento sustentável e crescimento econômico do Brasil e Espanha

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e o Centro para el Desarrollo Tecnológico Industrial (CDTI) lançaram edital que tem como objetivo financiar projetos elaborados em cooperação entre Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTs), empresas brasileiras e empresas espanholas. O prazo final para submissão de propostas é 29 de setembro.As propostas devem estimular a pesquisa estratégica e o desenvolvimento de parcerias para inovação nas áreas de “Tecnologias da Informação e Comunicação” e “Meio Ambiente e Eficiência Energética”.

Serão comprometidos recursos não reembolsáveis do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), operados pela Finep, até o limite de R$ 2 milhões. O montante máximo do apoio não reembolsável da Finep por projeto é de R$ 600 mil. A Finep financiará as ICTs brasileiras e o CDTI financiará as empresas e eventuais ICTs espanholas. A duração máxima de cada projeto será de 2 (dois) anos.

Mais informações: http://www.finep.gov.br/chamadas-publicas/chamadapublica/608

 

Fade-UFPE sedia Seminário de Integração das Unidades de Pesquisa Estratégicas e o Comitê de Articulação Externa da UFPE

Na última terça-feira (13.06) foi realizado, no auditório da Fade-UFPE, o Seminário de Integração das Unidades de Pesquisa Estratégicas e o Comitê de Articulação Externa da UFPE. O evento, promovido pela Diretoria de Inovação (POSITIVA), Diretoria de Relações Internacionais (DRI), Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da UFPE (Fade-UFPE), Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças (Proplan) e pela Pró-Reitoria para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq), contou com a presença do Magnífico Reitor, professor Anísio Brasileiro e de vários pesquisadores da UFPE.

O objetivo do Seminário foi apresentar aos docentes presentes a Coordenação de Articulação e Promoção de Parcerias Estratégicas – CAPPE|POSITIVA, as perspectivas de articulação internacional, a proposta do novo Núcleo de Apoio ao Pesquisador – NAP/PROPLAN, e o reposicionamento da gestão quanto às unidades de pesquisa.

O Reitor da Universidade Federal de Pernambuco, professor Anísio Brasileiro iniciou os trabalhos falando sobre os desafios da Universidade em um mundo globalizado. “Um dos nossos desafios é manter a qualidade na formação acadêmica dentro de uma sala de aula com alunos conectados em rede. Outro desafio é como as pesquisas estão articuladas com as demandas da nossa sociedade e, por último, a questão dos sistemas, redução de tempo, burocracia e fluxo para dar mais rapidez e possibilidades aos pesquisadores, para que eles possam focar nas suas pesquisas. E mais, a articulação da pesquisa com a inovação é o grande desafio nosso”. Ele ainda falou como a gestão vem trabalhando. “Está sendo feito um esforço para criar condições e dar elementos para que os pesquisadores possam desenvolver suas pesquisas com o mínimo de dificuldade possível. Um conjunto de ações está sendo estabelecido junto com a Fade-UFPE para apoiar e ajudar a vida dos pesquisadores”, disse.

A Coordenação de Articulação e Promoção de Parcerias Estratégicas – CAPPE|POSITIVA foi apresentada pela Professora Ana Cristina Fernandes. Trata-se de uma unidade para estimular e fortalecer a organização entre a universidade e o setor econômico. Além de oferecer uma estrutura para apoiar os pesquisadores, a coordenação também dispõe de competências que podem encontrar soluções e estreitar os laços entre a Universidade e sociedade.

A professora e diretora de Inovação da UFPE, Solange Coutinho, apresentou a POSITIVA e os objetivos do órgão. “A Positiva é a unidade que promove a convergência entre as competências científicas e tecnológicas da UFPE e as demandas da sociedade, gerando interações baseadas na confiança e comprometidas com a contínua produção e disseminação de conhecimento visando o progresso social sustentável. Essa unidade funciona como o Núcleo de Inovação Tecnológica da UFPE, responsável também pelas áreas de empreendedorismo, incubação, propriedade intelectual, difusão e transferência de tecnologia, articulação e promoção de parcerias estratégicas”, disse Solange Coutinho.

Uma peça fundamental para o bom funcionamento e andamento das pesquisas no Brasil são as Fundações que, junto às suas apoiadas, oferecem todo o suporte na gestão dos projetos de pesquisa. A Fade-UFPE vem, ao longo dos seus 35 anos, apoiando a Universidade e lutando por uma legislação menos burocrática. Durante o evento a Secretária Executiva da Fade-UFPE, professora Suzana Montenegro, explicou como o Marco Legal vem sendo trabalhado para minimizar as barreiras burocráticas. “A atuação em conjunto só é possível se tivermos segurança jurídica. Todos os entraves burocráticos que afligem vocês também nos afligem. Por isso, nós estamos trabalhando para que novos decretos sejam aprovados para nos possibilitar maior segurança e desburocratize os procedimentos dentro da gestão dos projetos de pesquisa. O objetivo do Marco Legal é transparência jurídica, simplicidade e segurança e queremos simplicidade porque se isso não acontecer, não conseguiremos fazer pesquisa e inovação”, disse Suzana Montenegro.

 

A professora ainda fez uma explanação de como a Fundação vem trabalhando para tornar os processos mais ágeis. “Também passamos por um processo de reposicionamento e sabemos a importância da Fade-UFPE na tríplice hélice que agrega as instituições de pesquisa científica e tecnológica (ICT), a sociedade e o governo. Nosso objetivo para facilitar essa interação é melhorar a eficiência com segurança jurídica. A implantação dos núcleos vem fazendo a diferença e a sua autonomia promoveu uma melhora na gestão administrativa e financeira dos projetos. Além disso, a Fundação está trabalhando para estreitar ainda mais os laços com a sua apoiada. Estamos trabalhando junto com a UFPE para fazer a politica de inovação da Universidade e, quando trabalhamos em parceria, nos tornamos mais fortes”, concluiu a Secretária Executiva.

 

A economista e consultora, Tânia Bacelar falou da importância da Universidade Pública para a pesquisa no país. “No Brasil quem faz pesquisa são as Universidades Públicas e elas têm que olhar esse novo ambiente em rede preservando esse papel. São essas instituições que geram conhecimentos no País”. Ela ainda ressaltou os objetivos do Seminário. “Um loco de articulação entre os pesquisadores e a UFPE, para discutir e compartilhar com a sociedade o diálogo com instituições e organizações da sociedade civil. Essa é uma semente para melhorar esse diálogo com quem está fora da Universidade”, disse Tânia Bacelar.

Após as falas de abertura foi iniciado o debate para que os pesquisadores tirassem suas dúvidas e compartilhassem experiências.  O Reitor concluiu falando da importância do evento para a UFPE. “Um seminário como esse é uma grande oportunidade de construirmos uma outra forma de trabalho menos segmentada e menos individualizada e que seja mais cooperativa e mais interconectada; é uma agenda que se coloca em perspectiva nesse seminário, compartilhando as dificuldades com a responsabilidade de cada um”, finalizou Anísio Brasileiro.

O evento foi uma oportunidade para consolidar as relações institucionais e a sustentabilidade dos Institutos e Laboratórios de pesquisa estratégica e de inovação.

Fade-UFPE participa do Simpósio Internacional SIMBOA-2017

No período de 06 a 09 de junho foi realizado, no Auditório da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN), em Natal/RN, o Simpósio Internacional de Moléculas Bioativas e Bioprocessos de Organismos Aquáticos (SIMBOA-2017). Com o tema “Produção de pescado multimercadológica, cíclica e integralizada: uma proposta para o Futuro”, o evento deu ênfase à multidisciplinaridade dos estudos da cadeia produtiva do pescado como um todo, e a possibilidade de aplicação no mercado. Uma oportunidade para  apresentar propostas para que o setor pesqueiro seja capaz de gerar matérias primas, insumos e produtos não só para a indústria pesqueira, mas também para outros segmentos industriais, criando mecanismos para aumentar a produtividade do pescado a fim de maximizar a geração de matéria prima.

A Secretária Executiva da Fade-UFPE, professora Suzana Montenegro, participou do Simpósio ministrando uma palestra na mesa redonda “Legislação e o novo marco legal no caminho da inovação tecnológica” inserida dentro do conjunto de palestras “Experiências e expertises no diálogo entre a academia e o setor produtivo” do SIMBOA 2017.  Para a professora Suzana Montenegro“á multidisciplinaridade do evento com profissionais de várias áreas do conhecimento interagindo trouxe dinamicidade ao evento. O encontro permitiu o intercâmbio entre empresa, indústria e academia. Por meio da participação da Fade-UFPE foi possível levar conhecimento ao mercado sobre a legislação que rege as fundações e como a Fade pode ser um elo importante entre a academia e o mercado, podendo contar ainda com outras instância de governo, compondo a tríplice hélice”, explicou Suzana Montenegro.

O colaborador da Fade-UFPE, David Pessoa, participou da mesa redonda “Sala de Casamento de Ideias”, com uma explanação sobre a formatação de projetos para os pesquisadores e empresas, esclarecendo as regras e apresentando os benefícios. “Foi fundamental a participação da Fade-UFPE no evento, pois somos uma ponte necessária entre a boa ideia acadêmica e os reais problemas ou oportunidades das empresas do setor produtivo, pois a Fundação pode ser o caminho mais rápido e seguro para que a academia e o empresariado firmem boas parcerias com o objetivo de desenvolver as melhores soluções”, explicou David Pessoa.

 

Por meio desse encontro foi possível discutir a produção de pescado relacionando áreas básicas como Bioquímica e Fisiologia com áreas de Produção, como a Aquicultura e o beneficiamento do pescado. O evento funcionou como uma proposta enriquecedora para os participantes, sobretudo para os alunos, pesquisadores e empresas da cadeia produtiva do pescado que tiveram a oportunidade de trocar conhecimentos sobre os trabalhos desenvolvidos pelas instituições acadêmicas que participaram do SIMBOA, além de aproximar as empresas e indústrias das melhores soluções propostas pelas pesquisas acadêmicas.

Encontro Norte/Nordeste de Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica

O III ENNFAIES – Encontro Norte/Nordeste de Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica, teve início ontem, dia 8 de junho, e reuniu 22 Fundações do Norte e Nordeste,  além de convidados de outras entidades e setores.

Estiveram em pauta assuntos como a melhoria de eficiência das Fundações de Apoio, Governança e Compliance, Relação FA/IFES, recredenciamento pelo GAT , Auto-regulação das Fundações de Apoio, Formação da DOA, Processos de compras e a nova legislação, Retenções tributárias em serviços contratados e a relação entre as Fundações de Apoio e as Universidades.

O Presidente do Confies, Fernando Peregrino, foi representado por Suzana Montenegro, Vice-presidente, que destaca: “O encontro foi um sucesso, com a organização realizada por três fundações, cuja pauta foi dividida em oficinas, nas quais a participação é mais intensa, e mesas redondas, todas com temas atuais, o que gerou uma grande motivação à discussão”.

Impedido de estar presente por motivo de saúde, que o levou ao hospital de emergência no dia 8, o Presidente do CONFIES, acompanhou de longe a sua realização através de informes constantes que recebia: ” foi de fato um sucesso pela qualidade das discussões e pela disposição de nossos colegas em enfrentar os desafios da burocracia que vem prejudicando a pesquisa do País”.

Além das fundações da região norte e nordeste, o evento contou com a presença de diretores de Fundações de outros estados, a exemplo, do Prof. Luiz Eduardo, Diretor Presidente da FUNARBE (MG), Prof. Alfredo Gontijo, Diretor Presidente da FUNDEP (MG) e do Prof. Aristeu Jorge dos Santos, Diretor Administrativo da FAURGS (RS).

Segundo Suzana, “o encontro foi leve e participativo, como sempre são os encontros do CONFIES. Daqui saímos fortalecidos para a luta em favor das nossas causas comuns. Os pontos discutidos foram extremamente positivos, o que nos fez crescer”. Sobre a participação no evento, “Fundações menores têm mais oportunidades de participar desses encontros regionais, de conseguir se pronunciar, pois a escala do evento é diferente e isso é importante. Eles devem continuar a acontecer e a Diretoria do CONFIES irá incentivar a realização.

Por fim, Suzana ressalta a importância das discussões de temas importantes: “O CONFIES sai fortalecido de mais um encontro, que fundamentou discussões importantes para a realização dos objetivos estratégicos de 2017”.

O CONFIES agradece e parabeniza as Fundações realizadoras do evento, com a certeza de que a o caminho percorrido até agora, para a concretizações dos anseios das fundações de Apoio, está bem fundamentado. É importante salientar que a união e a construção de um discurso comum será o esteio para as nossas conquistas.

 

Fonte: Confies

Fade-UFPE participa do Simpósio Internacional

“Produção de pescado multimercadológica, cíclica e Integralizada: Uma proposta para o Futuro” será o tema do Simpósio Internacional de Moléculas Bioativas e Bioprocessos de Organismos Aquáticos (SIMBOA-2017) que tem o intuito de fortalecer linhas de pesquisas e integrar grupos de pesquisadores nacionais e internacionais, bem como empresas relacionadas ao tema.  O evento acontecerá no período de 06 a 09 de junho de 2017, no Auditório da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (FIERN), em Natal/RN.

O objetivo do SIMBOA 2017 é discutir a cadeia produtiva do pescado como um todo, apresentando propostas para que o setor pesqueiro seja capaz de gerar matérias primas, insumos e produtos não só para a indústria pesqueira, mas também para outros segmentos industriais, de forma que ao mesmo tempo crie mecanismos para aumentar a produtividade do pescado a fim de maximizar a geração de matéria prima. O evento contará com palestras voltadas para as áreas relacionadas com o setor acadêmico e as demandas do setor produtivo.

A Secretária Executiva da Fade-UFPE, Professora Suzana Montenegro, participará do Simpósio ministrando uma palestra na mesa redonda sobre o tema “Legislação e o novo marco legal no caminho da inovação tecnológica” que estará inserida dentro do conjunto de palestras “Experiências e expertises no diálogo entre a academia e o setor produtivo” do SIMBOA 2017.  O colaborador da Fade, David Pessoa, participará da mesa redonda “Sala de Casamento de Ideias”, com uma explanação sobre a formatação de projetos para os pesquisadores e empresas, esclarecendo as regras e apresentando os benefícios.

O evento conta também com apresentação de trabalhos na forma de exposições orais e painéis, por alunos de Graduação, Mestrado e Doutorado de diversas instituições nacionais e internacionais. Além disso, o Simpósio contará com um espaço destinado às agencias de fomento, incubadoras e instituições, a fim de esclarecer as dúvidas dos participantes em relação à integração dos setores públicos  e privado, captação de recursos, entre outros. Um canal de comunicação será estabelecido entre estudantes e empresas a fim de propiciar a absorção destes pelo mercado de trabalho.

Por meio desse encontro será possível discutir a produção de pescado relacionando áreas básicas como Bioquímica e Fisiologia com áreas de Produção, como a Aquicultura e o beneficiamento do pescado.

 

Simboa 2017

Data: 06 a 09 de junho

Local: FIERN – Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte

Endereço: AV. Senador Salgado Filho, 2860 – Lagoa Nova – Natal/RN

Outras Informações: http://www.simboa.com.br/

Fortaleza sedia Encontro Norte e Nordeste das Fundações de Apoio

Fortaleza sediará nos dias 08 e 09 de junho o III Encontro Norte-Nordeste das Fundações de Apoio às Instituições de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (ENNFAIES). Professora Suzana Montenegro, Paulo Guedes, Rebeca Pernambuco, Danielle Anízia e Sâmia Sindeaux irão participar do evento. Organizado pela Fundação Cearense de Pesquisa e Cultura – FCPC e pela Fundação de Apoio a Serviços Técnicos, Ensino e Fomento às Pesquisas – ASTEF, o Encontro abordará temas que fazem parte dos procedimentos de rotina das fundações, com intuito de trazer maior segurança para os processos administrativos. A assessora jurídica da Fade, Rebeca Pernambuco, participará do evento como debatedora da Mesa Redonda: Autorregulação. A secretária executiva da Fade-UFPE, Professora Suzana Montenegro, será debatedora na palestra de encerramento “Inconsistências na legislação que rege a relação das Fundações de Apoio com as Instituições Federais de Ensino Superior”. O III ENNFAIES é uma ótima oportunidade para as fundações trocarem experiências e promoverem a uniformização operacional.